Filmes

Seleção de filmes da Mostra Nacional de Longas-metragens

– A Cidade dos Abismos (2021) 96`, direção: Priscyla Bettim e Renato Coelho, São Paulo/SP, classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Maya é acompanhada por Glória, a melhor amiga, que lhe promete que estará sempre junto dela, a um consultório clandestino. Ambas mulheres trans, Maya vai colocar silicone, mas uma intervenção atempada leva-a a mudar de ideias. Quando saem, é noite de Natal e chove. Refugiam-se num bar, cujo dono é um refugiado congolês chamado Kakule. Lá, refugia-se também Bia, farta dos constantes desentendimentos com o namorado. E assim os seus caminhos irão cruzar-se.

– A quem interessa a ignorância? (2020) 76`, direção: Alexandre Carvalho, São Paulo/SP, classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: A quem interessa a ignorância? Quem se beneficia com o silêncio de um povo? Três jovens brasileiros, recém-graduados, viajam pelo Brasil refletindo sobre a desigualdade no acesso à informação no nosso país, e em busca de uma resposta: quais caminhos e estratégias podem ser traçados como resistência?

– Bia Mais Um (2021), 71`, direção: Wellington Sari, Curitiba/PR classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Bia tenta lidar com várias mudanças. Quando conhece Jean, tenta dormir um pouco mais antes de acordar para a realidade.

– Germino Pétalas no Asfalto (2022), 79`, direção: Coraci Ruiz e Julio Matos, Campinas/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Quando Jack inicia seu processo de transição de gênero, o Brasil mergulha em uma onda de extremo conservadorismo. “Germino Pétalas no Asfalto” acompanha as transformações em sua vida e no país, atravessados por um governo de extrema direita e por uma pandemia devastadora. Através de um relato íntimo do cotidiano de Jack e seus amigos, vemos florescer uma rede de afeto e solidariedade que se constitui em meio a um contexto adverso.

– O Melhor Lugar do Mundo é Agora (2021), 74`, direção: Caco Ciocler, São Paulo/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: O Melhor lugar do mundo é agora um filme que se utiliza da própria premissa da atuação, do jogo entre o real e a ficção, para imaginar um mundo em que o isolamento tornou a arte impossível e o artista, inútil. Como também se vale das próprias impossibilidades das premissas fundamentais na realização de toda e qualquer obra audiovisual, pelo isolamento imposto pela pandemia, para criar um retrato de uma época onde o próprio cinema é impossível e a arte em geral, extinta.

– O Povo Pode? (2022), 128`, direção: Max Alvim, São Paulo/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: “O povo pode?” é um documentário que aborda a leitura de quatro trabalhadores nordestinos sobre o Brasil dos últimos 6 anos e sua relação com a história do ex-presidente Lula.

– Toada para José Siqueira (2021), 131`, direção: Eduardo Consonni e Rodrigo T. Marques, São Paulo/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Toada para José Siqueira é um resgate poético da vida e obra do maestro, professor, musicólogo e compositor brasileiro José Siqueira. Fundador das principais orquestras brasileiras, dentre elas a Orquestra Sinfônica Brasileira, Siqueira fez parte da 3a. geração nacionalista de compositores brasileiros que tinham o folclore como fonte de inspiração e enfatizou em sua obra as raízes nordestinas. Um artista e líder da classe musical que mostrou ao mundo a força e a diversidade da cultura brasileira e que segue desconhecido em seu próprio país após ter sua história apagada pela ditadura militar brasileira.

Seleção de filmes da Mostra Nacional de Curtas-Metragens Documentais e Ficcionais

– Irmãos de Tinta (2022), 8`, direção: Marta Nehring, São Paulo/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Para enfrentar a extrema-direita no Brasil, o Atelier Arte Livre atua politicamente, por meio da arte, na periferia de São Paulo. Desse trabalho nasceu uma dupla que pinta a quatro mãos, num processo de aprendizado recíproco pela troca de experiências de vida e da arte.

– Luta pela Terra (2022), 29`, direção: Camilla Shinoda e Tiago de Aragão, Brasília (DF) / Comunidade Sabiá (RR) /Autazes (AM), classificação indicativa: Livre 

Sinopse: Diversos povos indígenas se mobilizam em Brasília, Roraima e Amazonas frente a um importante julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF). Em parceria com comunicadores indígenas do Conselho Indígena de Roraima (CIR) e com o Coletivo de Comunicadores Mura, o filme apresenta a Luta pela Terra nos três territórios, trazendo as diferentes tradições e estratégias que constroem esse forte processo de resistência coletiva. 

– O Elemento Tinta (2022), 9`, direção: Luiz Maudonnet e Iuri Salles, São Paulo/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: A morte de um pixador por covid-19, é o estopim para que um grupo de pixadores se unam em uma ação direta contra como o governo Bolsonaro vem gerindo o país durante a pandemia.

– Um filme com Celso Marconi (2022), 22`, direção: Helder Lopes e Paulo de Sá Vieira, Recife e Olinda/PE, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Entre quadros e fotografias, ora diante de um tablet, ora de uma câmera, o crítico e cineasta Celso Marconi conversa com dois realizadores sobre um filme cujo objeto é ele próprio.

– Futuros Amantes (2022), 15`, direção: Jessika Goulart, Rio de Janeiro/RJ, classificação indicativa: Livre  

Sinopse: Devido ao sistema de hibernação mundial, a cada 300 anos, Lorna desperta para viver por 24 horas acordada. Boris, o cyborg da manutenção, aprende a ter afeição por ela, mas quando Lorna descobre que a hibernação será renovada por milhares de anos, perde as forças para continuar despertando.

– Madrugada (2022), 19`, direção: Leonardo da Rosa e Gianluca Cozza, Pelotas/RS, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Daniel e Soninho não sabem se vão voltar pra casa.

– Não Olhe Para Trás (2022), 14`, direção: Malu Portela, Rio de Janeiro/RJ, classificação indicativa: Livre  

Sinopse: Elisa tem 15 anos, está gravida de 8 meses e tem 1 dia para atravessar a fronteira com o Brasil. Ou uma maldição tomará sua alma.

Mostra Regional de Curtas-Metragens

– Além da Tela (2021), 14`49, direção: Arthur Oliveira, Santos/SP, classificação indicativa: Livre  

Sinopse: Arthur Oliveira Martins, jovem de 17 anos, apaixonado por explorar toda a cultura pop e geek. Em 2021, ingressou na turma de 1º ano das Oficinas Querô e foi o diretor do curta-metragem documentário “Além da Tela”, que aborda questões importantes sobre o uso das tecnologias na vida humana.

– Aline (2021), 12`16, direção: Felipe Morel Petrarchi, Santos/SP, classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Após vivenciar um acontecimento traumático, acompanhamos Aline em seu processo para lidar com sua solidão e nervosismo enquanto busca uma solução para o seu problema.

– Deus de Areia (2022), 25`, direção:  Kauê Nunes, Santos/SP, classificação indicativa: 10 anos

Sinopse: 1563. Franceses convencem seus aliados tupinambás a se unirem com outras tribos para combater os portugueses. O governador-geral do Brasil envia os jesuítas Manoel da Nóbrega e José de Anchieta para um acordo de paz. Como garantia, Anchieta fica como refém em Ubatuba. Durante os 5 meses de cativeiro, Anchieta passa a ter dúvidas sobre a sua missão e vocação. Até que um dia, Deus dá sua resposta.

– Fim (2022), 13`41, direção: José Roberto Torero, Santos/SP, classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Um encontro entre a morte e a pequena morte.

– Preciso parir uma lágrima (2021), 24`27, direção: Cibele Appes, Santos e São Vicente/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: “Preciso parir uma lágrima”, é um filme poético e imersivo, em que mergulhamos junto com a personagem em sua busca pela possibilidade de chorar que foi negada às suas antepassadas.

– Raízes do Mercado (2022), 17`32, direção: Daniel Calado Souza, Francina Ferreira de Lisboa, Jaime Santos e Samara Faustino, Santos/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Realizado durante oficinas audiovisuais do Instituto Querô pelo projeto Querô Comunidade, o documentário conta por meio de depoimentos dos moradores, um pouco da história dos bairros Vila Nova e Paquetá e a relação da região com as moradias em situação de cortiços, situadas próximas ao Mercado Municipal na região portuária de Santos.

Raízes (2021), 17`41, direção: Mayara Gomez e Beatriz Reis, Santos/SP, classificação indicativa: Livre Sinopse: O filme conta a trajetória de 4 mulheres pretas em diferentes posições sociais através das gerações, compartilhando suas vivências marcantes a partir de seus traços e principalmente seus cabelos, símbolo de empoderamento preto.

Mostra Nacional de Curtas-Metragens de Animação

– Anantara (2022), 12`, direção: Douglas Alves Ferreira, São Paulo/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Em um futuro não tão distante, uma garota vive sozinha em um centro de reciclagem de metais. Um dia, surge uma outra menina, e a vida já não é mais tão fria e solitária. Um grande evento ocorre, e o mundo nunca mais voltará a ser o mesmo, e ambas vão passar por uma grande transformação.

– Assum Preto (2020), 3`10, direção: Bako Machado, Arcoverde/PE, classificação indicativa: Livre  

Sinopse: A animação Assum  Preto  foi  inspirada  na  música  de  Luiz  Gonzaga  e  Humberto  Teixeira,  entrelaça  as  reflexões  e  sonhos  de  uma  criança  que  estuda  em  Educação  Remota  Emergencial  (ERE)  e  suas  dificuldades  diante  a  pandemia  do COVID-19, Com a trilha sonora da Banda de Pífano São Sebastião de Arcoverde.

– E-Valdir (2022), 3`, direção: Gabriel O. Leite, São Paulo/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Valdir, um brasileiro idoso, só queria assistir à sua partida de futebol. O que ele não esperava era cair em uma jornada pelo cyberverso. Agora, ele deve superar esse avassalador mundo novo de uns e zeros ou deixar que ele o esmague.

– Ewé de Òsányìn: o segredo das folhas (2021), 22`, direção: Pâmela Peregrino, Água Branca/AL, Paulo Afonso/BA, Porto Seguro/BA, Itaboraí/RJ, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Uma criança nasce com folhas em seu corpo e sua mãe busca a cura. Na escola, porém, as outras crianças a discriminam e ela foge para mata! Na Caatinga, encontra seres encantados de tradições indígenas e negras e caminha numa aventura de autoconhecimento. Sua busca a leva até Òsányìn, o Orisà das folhas, que apresenta o poder das plantas e a importância da preservação ambiental.

– Faísca (2022), 5`02, direção: Luca Tarti e Paulo Lima, Santo André/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Um pássaro de uma pintura em um museu ganha vida e parte para uma jornada voando através de outras obras até encontrar uma árvore solitária e transformar a realidade dela.

– Mind Duck (2022), 1`44, direção: Lilly Nogami, Valinhos/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Uma menina acorda em um lugar inusitado e recebe uma ajuda especial de um pato… gigante! Ela mergulha em uma insana viagem ao ritmo de “Uma Pequena Serenata à Noite” de W. A. Mozart.

– Shazem! (2021), 1`33, direção: Maiara Araújo, Embu das Artes/SP, classificação indicativa: Livre

Sinopse: Ao prenúncio do anoitecer, um poderoso mago retorna à sua morada após um intenso dia de colheita: ingredientes raros, escassos e inalcançáveis coletados nas profundezas da floresta. Mas que receita tão complexa estaria o nobre sábio almejando preparar com tamanho esmero e maestria?

Sessão especial de filmes santistas

Abismo: Minha História de Violência (2021), 75`, direção: Nildo Ferreira, São Paulo/SP, classificação indicativa: 12 anos

Sinopse: Já imaginou estar preso dentro da sua própria mente?

DADDIES – Histórias de Homens Gays com 50+ (2021), 67`, direção: Platão Capurro Filho e Eduardo Ferreira, São Vicente/SP, classificação indicativa: 14 anos Sinopse: A luta dos gays que estão chegando ou já chegaram a terceira idade e que viveram infância e juventude num regime autoritário e com a pandemia do HIV. Como estes gays assumiram a sua orientação sexual, seus relacionamentos, suas trajetórias profissionais e cidadãs.

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: